Papel do cirurgião dentista frente ao paciente portador de mucosite oral com história de tratamento de câncer por quimioterapia ou radioterapia

  • WELLINGTON DORIGHETO VIEIRA
  • MARIA INES CAMPOS
  • CELSO NEIVA CAMPOS
  • BEATRIZ VIEIRA AARESTRUP
Palavras-chave: Mucosite Oral. Prevenção e controle. Terapia. Patologia.

Resumo

A mucosite oral é uma doença caracterizada por lesões ulceradas na mucosa de pacientes submetidos à radioterapia ou quimioterapia. Atualmente, é considerada a mais severa complicação da terapia antitumoral, acometendo de 40 a 80% dos pacientes submetidos à quimioterapia, e quase a totalidade daqueles submetidos à radioterapia na região de cabeça e pescoço. Apesar de não impedir o aparecimento das lesões, medicamentos para tratamento da mucosite oral se fazem necessários para minimizar sua agressividade clínica, melhorando a condição nutricional, a hidratação e a qualidade de vida dos pacientes afetados. Além disso, a prevenção e o controle das úlceras bucais são fundamentais para o prognóstico da doença, uma vez que o estabelecimento de lesões graves pode limitar ou interromper definitivamente o tratamento, comprometendo o controle oncológico. O presente trabalho se propôs a apresentar ao profissional da odontologia uma revisão sobre a doença, suas causas bem como a forma de tratamento para minimizar o sofrimento dos portadores.

Publicado
2018-09-20
Como Citar
VIEIRA, W., CAMPOS, M., CAMPOS, C., & AARESTRUP, B. (2018). Papel do cirurgião dentista frente ao paciente portador de mucosite oral com história de tratamento de câncer por quimioterapia ou radioterapia. REVISTA DO CROMG, 17(1). Recuperado de http://revista.cromg.org.br/index.php/rcromg/article/view/27
Seção
Artigos