Doença Celíaca e as alterações bucais

Revisão da literatura

  • LUIZ ANTONIO SATORI Universidade José do Rosario Velano - Unifenas
  • ISABELLA DE SÁ TEIXEIRA
  • JULIA RODRIGUES ROCHA
Palavras-chave: Glúten, Doença Celíaca, Alergia ao glúten

Resumo

A Doença Celíaca (DC) é uma doença imuno-mediada desencadeada pela ingestão de glúten por indivíduos susceptíveis, os quais podem desenvolver alergia permanente à proteína. Os sintomas são manifestados como uma síndrome de má absorção, com diarréia crônica, dor abdominal, distensão e perda de peso. Outras formas de manifestações incluem as extra-intestinais, como a anemia por deficiência de ferro, dermatite herpetiforme, osteoporose e osteopenia. Na cavidade bucal ocorrem recorrentes situações de estomatite aftosa e defeitos de formação do esmalte dentário, glossite atrófica, queilite e líquen plano bucal. Pacientes celíacos estão em maior risco quando não seguem a dieta sem glúten, podem desenvolver câncer de boca, faringe e esôfago. O glúten é uma proteína presente no trigo, na cevada e no centeio e o único tratamento da Doença Celíaca é uma adesão definitiva ao longo de toda vida para uma dieta totalmente isenta desta substância, podendo ocorrer uma remissão dos sintomas. Por meio da Lei Federal nº 10.674, todos os alimentos industrializados devem conter em seu rótulo e bula, obrigatoriamente, as informações: “contém Glúten” ou “não contém Glúten” e devem estar presente em materiais de divulgação com letras com destaque, nítidas e de fácil leitura. 

Publicado
2020-12-10
Como Citar
SATORI, L., TEIXEIRA, I., & ROCHA, J. (2020). Doença Celíaca e as alterações bucais. REVISTA DO CROMG, 19(1), 21-26. Recuperado de http://revista.cromg.org.br/index.php/rcromg/article/view/72
Seção
Artigos